Portugal Liberal

domingo, fevereiro 06, 2005

Coelhoni in Action!!!

Nas últimas semanas só não fiquei chocado com as declarações de Jorge Coelho porque já estou habituado. Este tem sucessivamente atacado o Primeiro Ministro, Dr. Pedro Santana Lopes, acusando-o de deselegância e de descer o nível da campanha através das frases que usa nos seus cartazes de campanha.

Seguidamente vou expor as razões pela qual acho que Jorge Coelho não tem nem moral, nem razão nas afirmações que faz:

1) Como é que alguém pode acusar outrem de deselegância quando, quando era Ministro proferiu abertamente, "alto e bom som" a seguinte afirmação: "Eu vou às fuças da Direita!!!"?
A meu ver estas afirmações de Jorge Coelho é que são mais do que deselegante pois são aos olhos de qualquer pessoa grosseiras e arruaceiras.


2) Para Jorge Coelho, José Sócrates ou qualquer outro dirigente do Partido Socialista é elegante chamar o Primeiro Ministro de Incompetente (ainda que sem nenhuma razão para tal) de amanhã à noite. No entanto já é para eles deselegante que a JSD (Juventude da qual Sócrates fez parte em tempos) pergunte nos seus cartazes quais foram as obras de Sócrates, que vitórias obteve, que decisões tomou ou se os portugueses sabem mesmo quem ele é. Isto porque qualquer português ao olhar para aquele cartaz e lembrar-se-á que José Sócrates foi um dos piores Ministros do Ambiente da história do nosso país, que pouco ou nada fez (e que mesmo assim o que fez, fez mal) e que por isso é um péssimo candidato a Primeiro Ministro.
Relembro que ao contrário das acusações infundadas e descabidas que o PS faz dia e noite ao Primeiro Ministro, Dr. Pedro Santana Lopes, estas são apenas perguntas que a JSD faz aos Portugueses para que estes se lembrem do que foi e do que é José Sócrates e tudo o que ele representa.
É que ao contrário de simples perguntas legítimas da JSD e que por isso não são acusação, no tempo em que José Sócrates foi Ministro do Ambiente chegou mesmo a ser acusado de "Ditador" por Manuel Alegre, que era na altura como hoje ainda o é um destacado dirigente do seu próprio partido.

3) Noutro cartaz cuja exacerbada e infundada sensibilidade do Partido Socialista acusa de descer o nível da campanha, o PSD limita-se a perguntar aos Portugueses se querem que alguns (dos péssimos) ex-Ministros de António Guterres voltem ao Governo. Não será esta uma pergunta legítima?

Não será legítimo perguntar aos Portugueses se querem ver Joaquim Pina Moura, também conhecido por (Álvaro) "Cunhal dos Pequeninos" dos tempos em que este militava na Juventude Comunista Portuguesa, como Ministro da Economia ou Ministro das Finanças?

Não será legítimo perguntar ao Portugueses se querem voltar a ver João Cravinho como Ministro das Obras Públicas quando este ainda cerca de dois meses FUGIU a reponder perante a Comissão Parlamentar de Obras Públicas pela má e atabalhoada gestão que fez no caso das SCUT's quando foi Ministro das Obras Públicas?

A meu ver todas estas perguntas mais que legítimas, são acima de tudo naturais que se faça visto que as campanhas eleitorais visam exactamente esclarecer os Portugueses. E é isso que o PS não quer (e por isso não gosta de debates ao contrário do Dr. Pedro Santana Lopes). Não quer que os Portugueses sejam esclarecidos pois com o devido esclarecimento veriam que José Sócrates representa menos do "que um conjunto de nadas", mas acima (ou abaixo) de tudo um conjunto PÉSSIMAS propostas para o país visto que inclusivamente aquilo que de bom tem como objectivos (e não promessas como se poderia fazer crer) não está minimamente dependente de si mas sim dos empresários como é o caso dos fantasiosos 150.000 postos de trabalho. Assim pondo objectivos de campanha que não dependem de si é caso para perguntar porque é que não põe como objectivo 500.000 postos de trabalho (para quê ser modesto?) visto que se não o cumprir ninguém lhe vai pedir contas pois nem sequer são promessas de campanha mas apenas e tão somente algo tão vago e desvinculado como meros objectivos.